Todas as ideias geniais pareceram estúpidas à partida.

22.6.10

♥ Sorte

Ás vezes (muitas vezes até...) perguntam-me porque vim para a Irlanda e se fosse agora, se viria na mesma. Existem muitas formas de se responder á primeira pergunta, mas á segunda não há outra forma senão numa palavra apenas: Sim.


Quanto á primeira pergunta, há coisas que nunca consegui explicar a ninguém, por muito que tente, não há palavras. Vejo-me de fora, enquanto respondo á pergunta, assim como também me tento pôr no lugar de quem me ouve e pelo que leio nos olhos dos outros, nas faltas de reacção ou nas reacções desmedidas, de quem desvaloriza o esforço alheio, de quem o intitula de 'sorte', confirmo sempre que não há forma de fazer passar a alguém que nunca emigrou, o porquê de se emigrar e a ideia de base de que 'não é para todos' (e não é mesmo). Acima de tudo o quanto esse passo e todos os caminhos que advéem dele nunca tiveram nada a ver com 'sorte'. (Mas mesmo nunca). E como chamar-lhe de 'sorte' chega até a ser ofensivo...

Nós nunca tivemos a ajuda de ninguém.

No que muita gente apelida de arriscar, eu sempre apelidei de lutar pelos nossos sonhos, porque para mim esta vida é só uma. E seria mais fácil ficar com o que já se tem e não fazer nada... seria. Mas depois quando se muda e se consegue chamam-lhe sorte de novo.

Hoje recebi esta quote por email que penso resumir bem a razão porque vim e porque nunca me acomodei e continuo a lutar pela minha felicidade, mudando de emprego ou de casa se me apetece. Explica também porque viria de novo, mesmo em plena crise económica. Nunca nada na minha vida foi feito ao acaso ou á espera da 'sorte'. O mais estúpido é que por muito que explique os passos que dei e que dou, raras são as pessoas dispostas a dá-los até ao fim. Dão trabalho... é mais fácil chamar-lhe de 'sorte' e dizer que eu não entendo...



"Successful people decide how they are going to live; they are not victims of circumstance. In good times or bad times, they know where they are going and they know that they are going to get there."

Bob Proctor
Author and Speaker



**

"As pessoas de sucesso decidem como é que elas vão viver; elas não são vítimas das circunstâncias. Em tempos bons como em tempos maus, elas sabem para onde estão a ir e elas sabem que irão lá chegar."

Bob Proctor
Autor e Orador.


♥ Matilda | matilda.writing@gmail.com

14 comentários:

Rui Caldeira disse...

Eh pa, mas o que é que tas tu a fazer na Irlanda ??

Matilda disse...

a beber umas pints...

Lita disse...

... como eu te entendo. Também tive que me fazer à vida e sair da minha zona de conforto em portugal e trabalhar no estrangeiro. Primeiro Russia, depois Ucrânia e agora irei para chicago. As pessoas que falam comigo dizem "Admiro a tua coragem!", quando no fundo pensam "Esta tipa é doida, deixar a casa e o marido para trabalhar fora! O casamento está com os dias contados."
Eu de facto admiro todos os que pensam mais alto. Admiro a tua coragem e capacidade de integração.

****

Lita

maria teresa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dylan disse...

Obrigado pelos elogios e dicas...

sofia disse...

Mais um motivo para te admirar:)
Bj enorme

Mikas disse...

Olá Matilde, vim cuscar o teu blog e adoreeei, em primeiro lugar o tua foto de perfil e nome me dizem algo, pois eu quando estava solteira vi este filme e achei tanta graça a esta menina e ao nome dela, gostei, além disso eu cantava no coro onde tinha uma senhora com o nome Matilde e de ouvir chamar passei a gostar nome e decidi, quando tiver uma filha vai se chamar Matilde, e assim aconteceu, a minha princesa chama-se Matilde.

E não é que depois de ver a foto de perfil entro no blog e vejo o mesmo pano de fundo que o meu, lol

Também gostei deste teu post, obrigada, precisamente hoje fez-me bem ler.
Eu também tenho pensado na possibilidade de sair daqui, neste momento é complicado, trabalho, estou a tirar um curso e tenho a minha filha, mas preciso mesmo, mesmo dar a volta à minha vida.

bjs

Matilda disse...

Lita,

hummm, deve ser complicado viver na Russia ou Ucrânia uma vez que nao se fala em ingles...

Neste momento estou a hospedar uma prima, que é casada. O marido ficou noutro país para onde também tinham emigrado (mas Irlanda esta com melhor qualidade de vida neste momento) enquanto ela tenta a sua sorte aqui. A primeira reacção de um colega do meu marido (portugues) foi: entao e o marido dela? entao e o casamento? deixa-lo assim para trás e vem???

E ele é emigrante como nós, portugues como nós... Por isso muitas vezes digo-te, nem mesmo os emigrantes pensam tao á-frente ou outside de box como nós... :S

És uma mulher de coragem. Esta vida é para ser vivida e o que me faz continuar a 'arriscar' (como me dizem) é pensar: e se esta vida for mesmo só uma? Neste momento estou a lutar por outro sonho que muitos pensariam um disparate. É daqueles que só quando se realizam nos dão apoio e força... e há tantos sonhos assim...

Fico á espera das novas aventuras em Chicago :)

Beijinhos!

Matilda disse...

maria teresa,

Eu vivo na Irlanda, ou seja República da Irlanda. A denominação de Irlanda do Sul já não existe como antigamente. Por aqui, neste momento, dizer Irlanda do Sul significa algo-mais-a-sul dentro da República da Irlanda.

Nesses termos, eu nao vivo a sul, vivo mais ao centro :P

O termo Irlanda do Norte é que ainda se usa muito e refere á zona da Irlanda que já pertence ao Reino Unido. Onde se usam libras.

Bjo

Matilda disse...

Dylan,

Sempre ás ordens. Keep up the good work ;)

Matilda disse...

sofia,

Era capaz de jurar que já nao vinhas a este blog....

Bem vinda ;)

Matilda disse...

Mikas,

Que coincidencia engraçada. Se bem que o meu nome é Matilda (com A), mas deste á tua filha uma versao portuguesa do mesmo, claro :)

Por acaso tenho visto cada vez mais pessoas com este mesmo template, o que me tem dado uma certa vontade de o mudar... vamos ver.

Sobre emigrar, como eu disse, não é para todos e com uma filha os passos têm que ser ainda mais pensados em advance. (escolinhas, day care, etc)

Mas pareces-me, pelo que li no teu blog, uma pessoa madura que sabe viver sozinha sem se sentir só e isso é algo muito importante para se emigrar e se continuar feliz.

Os outros passos, claro está, é ir juntando dinheiro de parte para o arranque e aprender o mais possível da língua desse país.

Beijinhos!

maria teresa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lita disse...

Viver no leste não foi fácil: a dificuldade de comunicação (que até se torna engraçada passado uns tempos), a diferença cultural, o frio... mas foi uma experiencia muito enriquecedora a nível pessoal e profissional também. Estou certa que vou ter saudades!

Chicago: next!! Vamos ver como corre... ele que não demore muito, pois não tarda chega já atrasado :P